2022 vem aí

2022 vem aí

2022 vem aí.

 

O ano de 2021 foi um ano muito produtivo, levando um aprendizado a todos e fixando uma mensagem de força e fé para cada um, a pandemia do COVID-19 provou que a melhor maneira de resolver um problema “social” é com a descentralização. 


 

Nunca houve como contestar algumas medidas autoritárias tomadas por alguns, a ciência do folclore predominou no discurso dos detentores do interesse social, mas como um ser resiliente, o homem (vindo do pó) é capaz de se reinventar para sobreviver.

 

O fato é que quem sabe o que é melhor pra si é si mesmo, o indivíduo é o único capaz de resolver o problema, soluções centralizadas são sempre cheias de imperfeições e ineficácia, modelos inchados acabam por desmoronar pois não há difusão de ideias, e sempre prevalece os interesses do “dono” do coletivo, nunca o do coletivo.

 

Em computação, a primeira regra de segurança que aprendemos é fazer backup e a segunda semelhante a primeira, fazer backup do backup e terceira semelhante às duas primeiras, tenha backup do backup do backup. Ou seja, a redundância é fundamental para garantir o mínimo de segurança.

 

Aprendemos que terceirizar decisões importantes para nossa vida pode custar a nossa sobrevivência, relativizar a propriedade privada pode ocasionar a perda total dela, e abrir mão da nossa liberdade em nome de promessas de segurança não é uma atitude inteligente.

 

Sem dúvida com a descentralização da informação, através da internet, diminuíram os efeitos das ações centralizadas de lockdown, trabalhadores passaram a trabalhar home office, diminuindo o custo de produção em grandes escritórios e permitindo o trabalho globalizado.

 

A informação descentralizada também permitiu o combate efetivo à disseminação de Fake News, propagada na maioria dos casos por entidades ditas isentas e comprometidas. De fato o indivíduo agora pode buscar as informações na fonte, desenviesadas de “checagens” tendenciosas, pois a melhor maneira de conhecer a verdade é comparando as informações.

 

E sim, é preciso reafirmar, QUEM SABE O QUE É MELHOR PARA SI, É SI MESMO, somente o indivíduo, sem anular quem é em nome de um “bem comum”, unido a outro indivíduo com o mesmo objetivo é capaz de mudar o mundo em que vive.

 

O homem aprendeu que, quem faz o lugar são as pessoas que vivem ali, e não é inteligente aceitar ingerências externas, que sá, de organizações internacionais que impõem a outras mais fracas os anseios das potências que a gerem.

 

Em 2021, tivemos altos e baixos, momentos de felicidade e tristeza, dor e regozijo, mas em tudo nossa confiança nunca foi abalada.

Que em 2022, estejamos mais fortes e prontos para superar os novos obstáculos que virão.

 

 Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.

Assim como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o Senhor está em volta do seu povo desde agora e para sempre.

 

Salmos 125:1,2

Rodrigo Attique

Engenheiro de computação, empresário por falta de opção, pythonista de coração, programador por vocação.

0 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *